Grupo Corpo - Obras - Ímã
Obrasfundo_1
Loading
capa_ima

coreografia: Rodrigo Pederneiras

música: + 2 (Moreno, Domenico, Kassin)

cenografia e iluminação: Paulo Pederneiras

figurino: Freusa Zechmeister

MENU

coreografia: Rodrigo Pederneiras

música: + 2 (Moreno, Domenico, Kassin)

cenografia e iluminação: Paulo Pederneiras

figurino: Freusa Zechmeister

O princípio de interdependência e complementaridade que rege as relações humanas serviu de ponto de partida para a criação de Ímã pelo coreógrafo Rodrigo Pederneiras. Suave e vital, trivial e estranho, o balé do Grupo Corpo é marcado pela alternância constante entre o cheio e o vazio na ocupação do espaço cênico. Solos, duos e formações maiores ou menores de grupo se constituem e se dissipam a todo momento, num jogo incessante de união e dispersão.

A trilha composta pelo + 2, trio formado por Domenico, Kassin e Moreno, sobrepõe timbres e texturas de instrumentos de origens e naturezas diversas – como a guitarra e a ocarina, ou o sinth e a cuíca – para trafegar por temas abstratos, essencialmente melódicos ou tipicamente eletrônicos, e revelar influências que vão do bossanovista João Donato, ao ícone da música afro dos anos 70 Fela Kuti, passando pelo multi-instrumentista contemporâneo japonês Cornelius.

Com refletores de leds de sete cores recém-lançados por uma empresa norte-americana, Paulo Pederneiras funda uma nova espacialidade cênica. Onde volumetria e textura adquirem uma "materialidade etérea". Porque feita de pura luz.


Aos tons inteiriços e quase bucólicos do início segue-se uma explosão de cores. Violentas, radicais, exuberantes, elas produzem, entre si ou no diálogo intenso com os figurinos de Freuza Zechmeister, combinações inusitadas e quase sempre dissonantes.

Essa poética das polaridades, moldada com a magia que se oculta na convergência entre os divergentes, na justaposição de díspares, na excitação que rodeia o atrito, confere ao balé um misto indizível de estranhamento e beleza.

Ímã    2009
MENU
MENU