Grupo Corpo - Obras - Benguelê
Obrasfundo_1
Loading
capa_benguele

coreografia: Rodrigo Pederneiras

música: João Bosco

cenografia: Fernando Velloso e Paulo Pederneiras

figurino: Freusa Zechmeister

iluminação: Paulo Pederneiras

MENU

coreografia: Rodrigo Pederneiras

música: João Bosco

cenografia: Fernando Velloso e Paulo Pederneiras

figurino: Freusa Zechmeister

iluminação: Paulo Pederneiras

Benguelê é uma exaltação ao passado africano e às suas marcantes e profundas raízes na cultura brasileira. Riscando do palco, sem nenhum pudor, qualquer vestígio da técnica clássica - que, no entanto, presente na formação dos bailarinos, dá suporte à complexa coreografia -, o coreógrafo evoca, do início ao fim, ritmos afro-brasileiros como o maracatu, o candomblé e o congado. Anarquia e frenesi substituem a simetria e a ordem dos bailarinos em cena. Pas-de-deux e fouettés dão lugar a batidas de pé, remelexos de quadril, ombros e pélvis. A diversidade rítmica ganha vida ao som da música inspirada do compositor, cantor e violonista João Bosco. São onze temas - especialmente criados como a música-tema Benguelê, ou recriados como o chorinho 1x0 de Pixinguinha, ou Tarantá e Carreiro Bebe, do folclore. Ora festivos, ora ritualísticos, os movimentos sugerem danças tribais, onde a representação de figuras humanas, vergadas pelo tempo, ou animalizadas, pontuam o espetáculo.

benguelê    1998
MENU
MENU