Grupo Corpo - Obras - O Corpo
Obrasfundo_1
Loading
capa_o-corpo

coreografia: Rodrigo Pederneiras

música: Arnaldo Antunes

cenografia e iluminação: Paulo Pederneiras

figurino: Freusa Zechmeister e Fernando Velloso

MENU

coreografia: Rodrigo Pederneiras

música: Arnaldo Antunes

cenografia e iluminação: Paulo Pederneiras

figurino: Freusa Zechmeister e Fernando Velloso

Tematizando o imaginário urbano, a coreografia de Rodrigo Pederneiras dialoga inovadoramente com a trilha eletrônica de Arnaldo Antunes.

No ritmo acelerado dos movimentos, na violência dos gestos, nas quebras das linhas e no arqueamento dos corpos que buscam se mover rente ao chão, Rodrigo Pederneiras desenvolve novas características para essa dança, que vai da malemolência ao robótico.

“O corpo é suficientemente opaco / para que se possa vê-lo.” Esse corpo dança banhado na luz-cenário de Paulo Pederneiras, um quadrado de spots vibrando com a música como um gigantesco analisador de espectro.

O Corpo transforma o cenário em luz e os figurinos em cenários móveis: são esculturas pretas que dançam numa caixa vermelha. Os corpos ganham novos volumes pelo desenho das roupas de Freusa Zechmeister e Fernando Velloso. Formam uma gangue, ou tribo; mas suas individualidades são acentuadas pelo movimento e pelo inusitado dos figurinos.

As frases de Arnaldo Antunes ganham corpo na dança; e a dança dá novo viés à trajetória do Grupo. Na soma de gestos, som e luz, O Corpo concentra, com novos acentos, a essência brasileira do Grupo Corpo.

o corpo    2000
MENU
MENU