Grupo Corpo - Obras - Sete ou oito peças para um ballet
Obrasfundo_1
Loading
capa_sete-ou-oito-pecas-para-um-ballet

coreografia: Rodrigo Pederneiras

música: Philip Glass / UAKTI

cenografia: Fernando Velloso

figurino: Freusa Zechmeister

iluminação: Paulo Pederneiras

MENU

coreografia: Rodrigo Pederneiras

música: Philip Glass / UAKTI

cenografia: Fernando Velloso

figurino: Freusa Zechmeister

iluminação: Paulo Pederneiras

A partir de oito temas surgidos da parceria inédita entre o instrumentista e compositor norte-americano Philip Glass e o grupo instrumental mineiro Uakti, o coreógrafo Rodrigo Pederneiras desvencilha-se, pela primeira vez, do rigor formal que marca suas criações para construir uma obra despojada, onde a partitura de movimentos emerge como uma série de esboços, apontamentos ou estudos para uma coreografia. Inacabados na aparência, mas irretocáveis pela genialidade da forma. Como em uma pintura contemporânea, onde as correções podem ser incorporadas ao resultado final, os movimentos dos bailarinos do Grupo Corpo sucedem-se em variações que vão da estética “suja” própria dos ensaios a um primoroso acabamento formal. Nesse sentido, Sete ou Oito Peças para um Ballet, que teve sua estreia em 1994, propõe mais do que vaticina. O componente obsessivo, frio e exato dos temas especialmente criados para o balé pelo ícone maior da música minimalista norte-americana, leva Pederneiras a orquestrar repetições de movimentos que beiram o automatismo, executados, no mais das vezes, em solo, em contraposição a movimentos orgânicos de grupo, carregados da sensual latinidade intrínseca à sonoridade única produzida pelo Uakti.  O cenário de Fernando Velloso e os figurinos de Freusa Zechmeister buscam nos primórdios da corrente minimalista da pintura americana a inspiração para as listras em verde, azul e tons de amarelo que dão identidade visual ao espetáculo, enquanto o branco reina absoluto na iluminação de Paulo Pederneiras.

sete ou oito peças para um ballet    1994
MENU
MENU